Biscoitinhos de ventoooo…

biscoitos de ventoNão sei bem de onde saiu o nome… pensando bem, nem a primeira vez que ele provou!! Mas a questão é que o meu pequeno simplesmente ama estes biscoitos de polvilho azedo. AMA!!!

Os biscoitos comprados na padaria são bastante gordos e cheios de sódio. Os do supermercado então, além de tudo isso, ainda vêm cheios de conservantes e muitas vezes até mesmo corantes.

Sendo assim, na constante tentativa de oferecer alimentos mais saudáveis e ao mesmo tempo não privar meu filho das coisas que gosta, fui eu experimentar algumas (várias!) receitas.
Hoje então achei uma que deu certo!! Viva!!

Postei a foto nas redes sociais e logo vieram pedidos de receita. Parece que não é só o meu pequeno que adora!!

O melhor de tudo é que foi muito fácil e rápido de fazer!!!

Claro que a maneira que eu fiz foi como deu certo para mim… mas com certeza não é a melhor maneira de fazer, afinal, sou só uma arquimãe esforçada e não uma profissional da culinária! 🙂

Então, se achar uma maneira melhor ou aprimorar esta minha, vem me contar, ok??


RECEITINHA:

2 xícaras de polvilho azedo
1/2 xícara de leite tipo B (outro dia vou tentar com água)
1/2 xícara de óleo de girassol
1 ovo caipira
1 colher de chá rasa de sal marinho moído
Coloquei os ingredientes em uma bacia e amassei bem com as mãos para misturar.Como o polvilho azedo acaba formando bolinhas, coloquei então no liquidificador.

Obs 1: não coloque no liquidificador antes de misturar com a mão, pois não bate… pelo menos no meu é assim!
Obs 2: quando estiver batendo, a massa cria ar de tanto em tanto tempo, então é preciso tirar o ar com uma espátula… faz até pfffff!!! rsrsrsrs, três a cinco minutinhos batendo é suficiente.
Obs 3: se na sua cozinha tiver um processador de alimentos ou uma batedeira a mão, use e esqueça o liquidificador! (na próxima eu faço isso! kkkkkkk)

A massa fica bem mole e homogênea. Aí é só colocar em um saquinho plástico, fazer um furinho na ponta e deixar a imaginação rolar para criar formas legais.

Ele quase não cresce, então dá para colocar vários em uma forma anti-aderente (usei uma de pizza mesmo).

Deixei assar por uns 15-20 minutos no forno pré-aquecido a 200 graus, cuidando sempre para não queimar.
Lembrando que o polvilho azedo é derivado da fécula de mandioca, portanto, não contém glúten… ótimo para os intolerantes à ele!
Com um pouquinho de goiabada a mamãe aqui se esbaldou… e assim purinho o pequeno amou!
Bom apetite!!!!

Advertisements

Educar para a diversidade (ao menino Alex)

João panelinhas

Há dias não consigo parar de pensar no que aconteceu ao menino Alex… surrado pelo pai até a morte para, nas palavras do próprio pai, “aprender a andar como homem”… não consigo compreender tamanha violência vinda de um humano… da mesma espécie que eu!
Mas não é sobre esta barbárie que gostaria de refletir aqui, e sim sobre o que eu posso fazer a respeito disso. Sim, eu posso e você também! Como? Além de denunciar e até mesmo intervir em casos de violência contra a criança (e contra a mulher, contra o idoso, contra qualquer ser vivo!), também posso dar o exemplo àqueles que me cercam, e especialmente, posso dar o exemplo ao meu amado filho!
A educação que eu tento dar ao meu pequeno é repleta de diversidade… de cores, comportamentos, amores! Temos convívio com o mais variado tipo de pessoas, todas muito amadas e cheias de coisas boas pra passar pro meu baixinho!
Só que ainda, além disso eu, como mãe, procuro mostrar pra ele como penso que deveria ser o mundo. No dia-a-dia, mostro as diferenças óbvias entre o gênero feminino e masculino, é claro. Mas ainda procuro ir além… mostro todos os dias pro meu filho como homens e mulheres, independente de suas escolhas ou biótipos devem ser tratados com respeito.
Mostro que é legal ter tarefas para ajudar em casa (assim como eu e o papai fazemos) e que tudo que ele pode fazer, uma menina também pode! A mamãe aqui não prefere o rosa e sim o azul, desta forma espero que ele entenda que ele pode sim, preferir o rosa! E adoro skate e super-heróis! Mas também curto contos de fadas e frufrus… porque não?
O meu João brinca de panelinhas se quiser, mas também brinca de carrinhos, monstros e piratas, é só ele querer!
Do fundo do meu coração, desejo estar criando uma pessoa aberta, livre de preconceitos, amorosa e respeitosa para consigo mesmo e para com os demais e suas diferentes escolhas! Espero que o meu filho seja assim com seus filhos também (se um dia quiser tê-los)… e se um dia ele perceber que o meu neto gosta de dança do ventre e ajudar a mamãe (assim como o pequeno Alex), que ele o ache o máximo e ame-o com todo o seu coração!
Outro dia ele pediu algo a minha mãe, não lembro o quê, e minha mãe respondeu que aquilo era coisa de menina… ele na hora retrucou: “vovó, isso não existe!” Ai, ai… acho que está dando certo!!!
Gostaria de um mundo para o meu pequeno João, onde as pessoas fossem mais respeitosas e amorosas, e atrocidades como a que aconteceu com o menino Alex fossem cada dia mais raras e menos banais… quem sabe…
Talvez as minhas escolhas não sejam as melhores, mas são as minhas, e para mim são especiais!

E assim caminha a minha humanidade…

Beijinho

 

Para saber sobre o triste acontecimento:

http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,menino-de-8-anos-e-espancado-ate-a-morte-pelo-pai-para-andar-como-homem,1137536,0.htm